Publicado por: sadeckgeo | junho 4, 2012

ONU faz previsão para 5 a 10 anos sobre Geotecnologias

Durante a história de postagens aqui no blog, tenho tentado sempre deixar vocês a par das novidades na área das geotecnologias, trazendo metodologias, tutoriais e inovações. Foi nesse sentido que comecei a série de posts chamada de As Novas Geotencologias no dia 23/05/2011, Onde buscamos mostrar a nova revolução que vem se desenvolvendo nessa área. 

Não sei se todos ficaram sabendo, mas em outubro de 2011 a ONU (Organização das Nações Unidas) juntou alguns dos mais brilhantes pesquisadores na área de Geotecnologias para discutirem e apontarem os caminhos que serão o futuro para nossa área daqui a 5 a 10 anos. O interesse era saber como essas novidades se relacionariam com o desenvolvimento humano, levando em consideração crescimento econômico, sustentabilidade ambiental, gestão de desastres, bem-estar social e outras coisas. 

As discussões se prolongaram pelo GWF (Geospatial World Forum) e só terão fechamento em 2013, mas algumas coisas já ficaram elencadas como futuristas. Na verdade não sei até que ponto isso ainda pode ser considerado como futuro, pois muitas delas já estão implantadas e com funcionamento a todo vapor. 

Na primeira parte do dialogo ficou explicito que a localização é um componente vital da tomada de decisão eficaz e que novas formas de obtenção de dados invadirão o mercado como é o caso das VANTs. O que eu achei bem colocado foi a impregnação da informação geográfica em todos os níveis de governo (Gov 2.0) e até mesmo na vida dos cidadãos comuns quase em tempo real como é o caso dos nanosensores que não foram mencionados. Essa temática (GIS/Real Time) ainda não tive tempo de avaliar para escrever um post sobre ela, mas farei um esforço… 

Para isso funcionar bem, será preciso uma nova forma de armazenagem e distribuição da informação e nesse ponto foi mencionada a tecnologia de Nuvens, facilitando a integração dos dados pela própria web (GeoWEB)* e isso exigirá padronização. Como tudo ficará muito mais rápido e integrado, os notáveis perceberam que a demanda por informações em 3D e 4D também será maior. Nesse ponto, acho que eles já estão atrasados, pois hoje já começa-se a falar em informações em 5D.

Não poderia ficar de fora da conversa as questões de liberdade e aprisionamento dos dados e informações, mas me pareceu que a grande tendência será mesmo os dados livres e gratuitos e que o mercado aceita bem as soluções desenvolvidas pela coletividade. Lembro que queríamos mapear o Brasil com nossas próprias mãos por que o governo não fazia nada… Quem sabe isso daqui uns 5 anos não acontece… É claro que legislações e políticas serão envolvidas nesse jogo também. 

Pra finalizar esse 1° round algumas pontuações: 

  • As mídias sociais estarão em alta na recepção de informações geoespaciais;
  • O processo educacional precisará se adequar para a formação de indivíduos que saibam usar a informação geoespacial;
  • Sensores de baixo custo irão se proliferar;
  • Infraestruturas de Dados Espaciais  e Metadados serão cada vez mais importantes;
  • Software livre e open source vão continuar a crescer como alternativas viáveis;
  • A informação geoespacial se tornará tão fundamental como energia elétrica;
  • GNSS será muito mais significativo e preciso e será amplamente utilizável;
  • Privacidade continuará a ser um grande campo de batalha;
  • Teremos que reciclar nossos profissionais;
  • A comunidade participara ativamente nos processos de mapeamento e informação;
  • O Governo será mais organizador e menos produtor dos processos geoespaciais;
  • Não haverá mais de 10 fornecedores mundiais de serviços de informação geoespacial do mundo; 

Esses são alguns pontos que eu achei interessante, no documento oficial tem muitos outros. Vale a pena conferir. 

Continuaremos elucubrando novas direções para as geotecnologias, acompanhe a série Novas Geotecnologias aqui no blog.

* Citação do blog do amigo Fernando Quadro por considerar uma referência em GeoWEB.


Responses

  1. Show de Post Sadeck! Eu particularmente sonho com isso todos os dias…
    Abração

    • Obrigado Cícero,

      Eu também fico só na vontade… Seria muito bom poder testar as ferramentas que já estão sendo usadas para a construção dessas novas geotecnologias.

      Um abraço.

  2. Alguns dias antes do anuncio da Google dissemos “…demanda por informações em 3D e 4D também será maior. Nesse ponto, acho que eles já estão atrasados, pois hoje já começa-se a falar em informações em 5D.” Parece que o cenário está se desenhando conforme previmos!

    New 3D imagery for Google Earth for mobile – YouTube http://awe.sm/h2zu

  3. Não haverá mais de 10 fornecedores mundiais de serviços de informação geoespacial do mundo;

    O que seriam servicos de informacao espacial?


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.117 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: