Publicado por: sadeckgeo | fevereiro 9, 2010

O futuro do IDESP em tempos de política.

IDESP - Dead

É pessoal… Não foi com surpresa que hoje fiquei sabendo das complicações que o IDESP vem passando. No dia 26 de janeiro de 2010 saiu da presidência do tão esperado IDESP, o pesquisador de renome Peter Mann e entrou o Doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e professor adjunto da Universidade Federal do Pará (UFPA) José Raimundo Trindade, que vai ter que enfrentar uma dura batalha para não acontecer o que já aconteceu uma vez, a morte do instituto. Pena é que essa mudança é uma jogada política do Governo do Estado para inibir as informações sobre o desenvolvimento do Estado, que o Instituto vinha produzindo, pois na cerimônia de posse, alguns integrantes do Governo declararam que a mudança foi motivada por razões políticas.

O IDESP na gestão de Toledo tinha o compromisso com a pesquisa sobre o desenvolvimento do Estado do Pará, porém sempre sofreu com o descaso do Governo que não lhe deu condições para isso. O Instituto não tinha uma estrutura mínima de quadro funcional, pois não abriu edital para contratação de funcionários efetivos, o que foi muito esperado pela comunidade acadêmica, teve seu orçamento bastante reduzido para o nível de pesquisa a ser desenvolvida e nem uma sede própria chegou a ter. Vamos, mais uma vez, aguardar para ver o que essa mudança vai trazer para o futuro das informações sobre o Pará.

Segundo Lúcio Flávio, “Peter não se enquadrou no modelo que parece ter sido imaginado pelo dito ‘núcleo duro’ da administração estadual. Foi tratado a pão e água, fritando e, quando, ainda assim resistiu a pedir sua demissão, demitido – com detalhes que não honram quem o afastou do cargo”.

Perante o cenário que se formou na recriação desse suposto braço do Governo e com as medidas que foram tomadas durante esse curto período, fiquei na expectativa para ver o que aconteceria, quando vi a charge de primeira folha do Jornal Pessoal n° 458, tudo ficou claro… IDESP aqui jaz outra vez!

No discurso de reabertura do órgão, foram mencionados dois pontos essenciais que levarão à sua morte, mas que também são importantes para sua perenidade. Ana Julia disse na solenidade, que o PT encontrou o Governo sem informações, ou seja, o instituto seria um coletor e divulgador de informações,  e que, a partir daquela data, o IDESP seria um órgão mais da sociedade que do governo, porém isso não parece ser bem verdade.

O novo diretor assumiu as antigas diretrizes, que não foram postas em prática na gestão anterior por falta de apoio superior e principalmente pelas barreiras impostas no caminho, e tem a missão de falar menos e fazer mais.

Vamos ver a quantas andará e qual a postura política dessa nova administração.

As diretrizes do novo gerente – http://bit.ly/d8XnRd

Jornal Pessoal – http://www.lucioflaviopinto.com.br/

Links relacionados:

IDESP: ordenamento territorial do Pará?

Diário Entrevista Peter Mann.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: