Publicado por: sadeckgeo | julho 2, 2008

RADAR DE ABERTURA SINTÉTICA – SAR

artigo

Por: Luis Sadeck

O sensoriamento remoto é hoje uma das ferramentas de maior importância para a obtenção de informações da superfície terrestre, tendo como princípio a obtenção da mesma sem contato físico e de forma sistemática, assim como em um intervalo de tempo regular.

A obtenção dessa informação pode ser feita através de dois tipos de sensores, os Passivos e os Ativos. Nesse artigo nos deteremos a falar sobre os sensores Ativos, mais especificamente os sensores de microondas, nos quais está inserido o Radar de Abertura Sintética – SAR.

Esse tipo de sensor tem uma forma de obtenção de dados bastante característica, que é através de pulsos eletromagnéticos enviados à superfície na velocidade da luz, tendo como retorno ecos na mesma velocidade. Geralmente a antena é posicionada com seu eixo longitudinal na parte inferior da aeronave que transporta o sensor, emitindo pulsos em forma de leque proporcionando a criação da imagem. Dentre os parâmetros para geração da imagem, os mais importantes são a distância em relação à antena e a intensidade do eco (energia refletida), pois é a partir desses que será produzida a imagem.

Por causa de suas propriedades esse tipo de sensor esta sendo bastante cogitado para fazer levantamentos de dados na Amazônia, uma vez que, dependendo da banda (Faixa espectral) usada, ele não apresenta dificuldades quanto a nuvens, chuvas e outros tipos de implicações.

Fig01: Faixa espectral (FREITAS et al, 2004)

Na região Amazônica o SIPAM possui, através da aeronáutica, algumas aeronaves com esse tipo de sensor, sendo hoje uma referência no uso de sensoriamento remoto por radar, tendo imageado uma área que correspondente a mais de 3 milhões de Km2, essas imagens estão sendo utilizadas para detecção de desmatamentos, corte seletivo, identificação de pistas de pouso clandestinas, ocorrência de garimpos, entre outras aplicações.

Fig02 -Aeronave R99B

O SAR SIPAM, segundo Costa, 2007, difere dos demais sensores, pela capacidade de imageamento simultâneo com a banda L, nas polarizações HH, VV, VH e HV, e banda X (HH), com resoluções espaciais de 3 m, 6m e 18 m.

Além desse sensor do SIPAM, que já monitora a Amazônia, juntamente com outros sensores aeroembarcados nessa aeronave, está em andamento uma parceria entre o INPE (Brasil) e a DLR (Alemanha) para criação do Mapsar, essa nova ferramenta será orbital e trabalhará na banda L com polarizações HH, VV, VH e HV, tendo resolução espacial de 3 a 20 metros.

As simulações feitas para testar métodos, formar pessoal e outros, foi feito com o R99B-SAR-SIPAM através de diversos projetos desenvolvidos em parceria com outras instituições (ENBRAPA, CPRM, UnB, UFPA, MPEG e outras).

Fig03 – Satélite MAPSAR

Parece que esse comprimento de onda vai dar o que falar! Vamos esperar pra ver as novas formas de gerenciamento da informação para o desenvolvimento da região Amazônica.

Bibliografias e Sites

COSTA, S. dos S. ; CAMPOS, M. A. A. ; ROGÉRIO, A. P. C. . Imageamentos realizados pelo sistema aerotransportado SAR/SIPAM.In. Anais XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Florianópolis, Brasil, 21-26 abril 2007, INPE, p. 6661-6665.

FREITAS, C. C. ; SANT´ANNA, S. J. S. ; RENNO, C. D. ; CORREIA, A. H. . Utilização de imagens de radar de abertura sintética na classificação do uso e ocupação do solo. In: EMBRAPA. (Org.). Geomática: Técnicas e Aplicações Avançadas. : , 2003, v. , p. -.

http://www.obt.inpe.br/mapsar/mapsarindex1.htm Acessado em 26/jun/2008 as 20:36

 


Responses

  1. Estudante do curso universitario de tecnologia em petroleo e gas , estaremos realizando um seminario referente ao sensor SARSIPAM, o que ate agora encontramos não esta atendendo as necessidades tecnicas do referido assunto , portanto o que vc tiver disponivel ira nos ajudar muito.
    Sem mais desde de já gostaria de agradecer sua ajuda.

    Curtir

    • Olá Denize,

      Tente entrar em contato com a pessoa responsavel pelas informações sobre o sensor no SIPAM de Manaus (solange.costa@sipam.gov.br).

      Espero que ela possa te ajudar.

      Um abraço

      Curtir

  2. O email referente ao livro, nao está mais ativo.Pelo menos eu nao consigo.

    Curtir

  3. O Brasil através desses sistemas de monitoramento pode se torna uma referência na pesquisa desse tipo de tecnologia?

    Curtir

    • Então Jeilson,

      Como não existem sistemas de monitoramento com o uso de RADAR voltado para o desflorestamento, acredito que possa sim se tornar uma referência no assunto.
      Hoje temos a discussão sobre o lançamento de um CBERS SAR, as conversar sobre o MAPSAR estão meio paradas, mas temos a possibilidade de uso de outros sensores SAR criados por países europeus.

      Vamos esperar as novidade.
      Um abraço.

      Curtir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: