Publicado por: sadeckgeo | maio 19, 2012

Vetorização automática – SPRING

A limiarização de imagem é um processo que dá suporte a uma grande quantidade de atividades de interpretação de imagem, tanto no que tange a parte de classificação como na de vetorização.

A nova versão (5.2) do SPRING trouxe uma funcionalidade que agiliza o processo de vetorização de cartas topográfica. No vídeo fizemos apenas uma demonstração da ferramenta, mas em seu trabalho você pode usar outras ferramenta do software para escolher o limiar que mais se ajusta ao dado que você precisa extrair da carta. No exemplo usamos a banda do vermelho para extração de drenagem, se você quiser extrair as curvas de nível use a banda do azul, mas lembre-se dependendo da sua imagem essas considerações podem mudar, logo, é fundamental que você faça uma análise prévia para depois aplicar o algoritmo de vetorização.

Grande parte do acervo cartográfico nacional já foi escanerizado e pode ser achado no site http://biblioteca.ibge.gov.br/, você precisará georreferenciar a carta e isso você pode fazer tanto no SPRING quanto em outros softwares.

Georreferenciamento por coordenadas no ERDAS

Registro 1de3 – ArcGIS 9.2

Depois disso é só seguir o vídeo.

Espero que tenham gostado e que dê bons resultados nos seus trabalhos. 

About these ads

Responses

  1. A tendência é que o Spring, com a abertura do seu código, torne-se cada vez mais robusto. Essa função, a vetorização automática, em especial, é uma das novidades nessa versão, é de grande ajuda. Cabe ressaltar que sempre será necessário uma verificação na vetorização resultante para fechamento de polígonos , ajuste de continuidade em linhas , etc.

    Parabéns pelo post Sadeck ,você está entre os favoritos de muito aqui no setor de geoprocessamento.

    Curtir

    • Obrigado pelas considerações Narcelio.
      Acredito, assim como vc, que nossos aplicativos de SIG tendem a ficarem melhores e mais consistentes. Não sei se isso vira por conta da comunidade, que prefere programar para os gringos, mas espero que pelo menos os investimentos ($) em programadores e em códigos seja maior para os nossos SPRING e TerraView.
      Um abraço.

      Curtir

  2. Muito importante as suas palavras Sadeck. São essas considerações, de quem realmente utiliza as ferramentas, que incentiva e faz progredir as mesmas!!

    Curtir

    • Obrigado Luciene,

      Realmente só o uso e a troca de conhecimento por fórum e envio de duvidas e sugestões para os desenvolvedores que vai fazer com que o desenvolvimento da ferramenta seja maior.

      Um abraço.

      Curtir

  3. Oi, Sadeck! Muito bom esse post…estou tentando aplicar esse processo em uma imagem segmentada, porém não dá certo. Há outra forma de converter a segmentação em vetor e posteriormente exportar para shapefile, no Spring???

    p.s= Concordo com todos os elogios que vc recebeu, sem dúvida o seu blog é um dos favoritos.

    Curtir

  4. Olá Izaura,

    O que você tem é uma imagem rotulada? Esse produto servirá para que você aplique a classificação por regiões e somente após ter a classificada é que você poderá converte-lá.

    Obrigado!

    Curtir

  5. Bom dia Sadeck.
    Minha pergunta não tem muito a ver com o tema, mas aproveitando:
    como faço para saber a qual fuso, ou de onde é a imagem RapidEye pelos seus arquivo de metadados?
    Desde já agradeço.
    Abraço.

    Curtir

    • Olá Lucas,

      Você pode abrir seu arquivo de metadado em um editor de texto e procurar por Spatial Reference, lá você verá um campo chamado projection que lhe informará datum, projeção e zona caso essa seja UTM.

      Qualquer coisa estou por aqui.

      Um abraço.

      Curtir

  6. Olá Sadeck. Este post é muito prático e
    educativo. sou usuário Spring e particulamente não sabia desta função, que é muito boa.
    Tem como vetorizar somente a hidrografia?
    E aproveitando, qual é a vantagem de se usar o gerenciador PostgreSQl no Spring? É que nunca o usei.
    Desde já agradeço.
    Abraço e parabéns pelas postagens!

    Curtir

  7. Caro Lucas,

    Essa é uma função que foi criada e implementada para a versão 5.2.

    Para você vetorizar as drenagens você deve escolher a banda que melhor representa ela e depois o limiar que ela está compreendida.

    O PostgreSQL é uma dos mais robustos gerenciadores de BD, ele lhe dará uma consistência muito boa no armazenamento dos seu dados além de possibilitar muitas outras funções relacionadas à BDG. Além do mais o kernel ADO (DBase) está sendo descontinuado por conta de sua limitação, sendo preciso migrar para algo equivalente, no caso, o SQLite.

    Espero ter ajudado.

    Abraço.

    Curtir

    • Obrigado pela ajuda Sadeck.

      Qual seria a banda mais apropriada para fazer isto? A do vermelho?

      Abraços.

      Curtir

      • Lucas,
        É preciso olhar a sua imagem, mas acredito que será melhor a banda do azul.

        T+

        Curtir

      • É acho que sim.
        É uma carta topográfica do exército mesmo.
        Obrigado pela atenção.
        Abraço.

        Curtir

  8. Material de excelente qualidade. Realmente o Spring é digno de um maior destaque na área de tecnologia SIG, mundialmente falando. Mas com certeza os incentivos e valorização têm de começar aqui no Brasil.

    Curtir

  9. Sadeck, boa tarde.

    Qual a lógica dos valores do limiar na vetorização automática?
    Estou com dificuldades para vetorizar as curvas de nivel de uma carta do ibge.
    Tenho a imagem em bandas, e tenho uma imagem apenas das curvas de nivel, em preto e branco.
    O limiar das imagens em bandas coloridas varia de 0.0 a 240.0.
    Já a imagem apenas das curvas de nivel, o limiar varia de 0.0 a 1.0.
    Qual limiar devo utilizar e por que você sugere a banda azul?

    Você poderia me ajudar?

    Obrigado

    Curtir

  10. Caro Sadeck, não consigo criar o Banco de Dados para o PostgreSQL. Dá um erro como se não houvesse o localhost e a senha também não aceita. Consegue me ajudar? Att

    Curtir

    • Thiago, você tem o PostgreSQL instalado em sua maquina?

      Copie o erro e me mande!

      Aguardo!

      Curtir

      • Sadeck, não fiz instalação de nenhum software além do SPRING. Pode ser isto? O erro que dá é: “could not connect to server: connection refused (0x0000274d/10061) Is the server running on host “localhost” and accepting TCP/IP connections on port 5432?” Outra coisa, o que coloco no campo “Host”, no campo “Usuário” e no campo “Senha”? Desculpe-me, pois sou leigo no assunto, mas preciso realizar um trabalho nesta área. Att

        Curtir

      • Então Thiago,
        Você precisa ter o gerenciador PostgreSQL instalado na sua maquina.

        http://www.postgresql.org/

        Veja o vídeo de instalação:

        Depois de tudo pronto acredito que você não terá problema.

        Um abraço.

        Curtir

      • Sadeck, deu tudo certo. Muito bom, porém a vetorização fica meio falha, não é?! Tem alguma maneira de dar uma melhorada na vetorização? Att.

        Curtir

      • Então Thiago,

        Pra que ela fique 99,9% você vai ter que ter um pouco mais de trabalho analisando os limiares…

        Um abraço.

        Curtir

  11. […] Conversão de Dados OpenStreetMap para Shapefile ou KML […]

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.242 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: